Integrar com o Google Shopping via API (Bridge)

Marketplace

Cris David

Cris David

Última atualização

A nova integração do Google Shopping deixa de utilizar o XML para permitir integração por API e acompanhamento em tempo real pelo Bridge.

O XML não foi descontinuado; ainda é possível utilizá-lo, mas a API trabalha com recursos modernos, muito mais rápidos e confiáveis.

Para habilitar essa nova integração com o Google Shopping, é necessário ter uma conta no Google Merchant Center vinculada ao Google Adwords, aonde precisa haver uma campanha do tipo shopping para que os produtos ativos do Merchant Center passem a estar disponíveis e aparecerem nos resultados de busca do Google.

Para mais informações sobre as campanhas e anúncios do Shopping, acesse este artigo do Google.

Como configurar

Acesse o VTEX Bridge, clique no link Marketplaces e, na opção do Google Shopping, clique em Integrar.

Neste formulário de configuração, é necessário fornecer o código do seu Merchant Center, escolher a Política Comercial desejada, um e-mail para criação do afiliado Google Shopping no OMS. Também é possível habilitar/desabilitar a integração ao clicar nos botões Ativada/Desativada

É no Bridge também que o lojista escolhe a opção de enviar preço promocional ou não. Por default essa flag vem ativada, mas caso a loja não deseje enviar os produtos com os valores promocionais ela possui essa opção de deixar inativo.

E o ID da conta do merchant caso seja multi-client (esse campo deve ser preenchido com o ID da sub-conta relacionada ao merchant).

OBS: Se a loja notar que os produtos estão divergindo de preço ou que usa schema de dados de atualização automática e não quer desativar (deseja trabalhar com as duas opções, integracao + atualização automática do Google Shopping), ela pode, contanto que o preço promocional esteja contido na tag dos updates automáticos. E se não quiser, pode desativar no Bridge.

Autorizar a integração

O próximo passo é autorizar a VTEX a ter acesso ao seu Merchant Center e enviar seus produtos. Antes de tudo, faça login no Google Merchant Center com o usuário master* lá existente.

*Para saber qual é o e-mail master do Google Shopping, atente-se que ele é o único que permite gerenciar usuários.

Feito isso, no Bridge clique em Autorização e depois no botão Desejo me autenticar. Você será direcionado a uma página do Google para conceder o acesso para a VTEX utilizar as APIs do Merchant. Clique em Permitir.

Caso apareça a tela abaixo, o acesso foi concedido com sucesso.

Após seguir todos esses passos, sua loja está pronta para enviar os produtos para o Google Shopping. O envio dos produtos acontece à medida que os mesmos vão sendo indexados.

Para a carga incial de produtos é necessário reindexar a base.

Considerações

Produtos enviados

Na integração atual, todos os produtos disponíveis na política comercial serão enviados ao Google Shopping, não havendo possibilidade de filtrar por coleção nesse momento. Este é um recurso futuro, que está em nosso backlog.

Preço enviado

O preço enviado é sempre o menor preço disponível para o SKU segundo a API de simulação de carrinho. Se o seu produto tem promoção, o preço promocional será enviado (promoção de boleto, por exemplo).

Preço quando há vários sellers

No caso de marketplace, sempre enviamos a melhor oferta entre os sellers disponíveis.

Resolução da imagem

Será enviada a maior resolução disponível para o produto, conforme arquivo que foi feito upload no cadastro.

EAN/GTIN

O GTIN é tratado. Se o produto tem EAN, nós enviamos, e se o EAN for inválido, o erro será exibido no Bridge como “EAN invalido = GoogleShopping badrequest”.

Tamanho da descrição

Respeitamos o limite de descrição de produto do Google Shopping, enviando o máximo de 5 mil caracteres.

Outras integrações

Não se deve utilizar duas integrações com o Google Shopping ativas ao mesmo tempo. Optando por utilizar a nossa integração por API somente ela deve estar ativa, desabilitando o XML, por exemplo.

URL do site

No console do Google Merchant você deve preencher a URL exata do site, se atentando à existência de WWW ou não, e ao uso de HTTP ou HTTPS.Os links são construidos a partir desses dados, e caso a informação estiver incorreta os redirecionamentos não serão contabilizados corretamente pelo Google Analytics.